Congo: ministro ordena libertação de bodes presos. WTF?!

by

Autoridades da República Democrática do Congo ordenaram a libertação de uma dúzia de bodes que estavam presos em uma cadeia comum, alegando que os animais foram detidos ilegalmente.

O vice-ministro da Justiça, Claude Nyamugabo, disse ter encontrado os animais em uma visita de rotina em uma prisão em Kinshasa, capital do país.

Os bodes foram acusados formalmente de envolvimento em sua venda ilegal na beira de estrada e estavam sendo mantidos para serem levados a um tribunal.

Ao ordenar a libertação imediata dos animais, o vice-ministro afirmou que faltava aos policiais conhecimento jurídico, razão pela qual serão enviados para treinamento.

Ele disse que ficou abismado ao encontrar animais e seres humanos detidos em uma mesma cela. As autoridades não informaram qual seria a pena dos bichos, se fossem considerados culpados.

Ainda assim, tendo em vista as condições das prisões no Congo, disse a analista da BBC para a África Mary Harper, é provável que os bodes se sintam aliviados de voltar à liberdade.

Não está claro o destino dos donos dos bodes, que também foram presos.

Fonte: Terra Popular

 

- Mas eu é que tava sendo vendido!
– Mas eu é que tava sendo vendido porra!

 

 

Viu só! Comparado com o Congo a gente tá bem! Quem diria!?

Tags: , , , ,

Uma resposta to “Congo: ministro ordena libertação de bodes presos. WTF?!”

  1. Fábio Says:

    “Viu só! Comparado com o Congo a gente tá bem! Quem diria!?”

    realmente…

    http://www.jornalsanitario.wordpress.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: