Improvisando

by

Todo mundo sabe improvisar. Fato. A diferença está na qualidade do improviso. Exemplos:

– Quem vai ser o primeiro a apresentar o trabalho de Geografia? Zezinho?
– Professora, eu… ahhhnnn, é que…… hhhhmmmmm… então, eu não fiz.
– Zero.

– Quem vai ser o primeiro a apresentar o trabalho de Geografia? Zezinho?
– Professora, eu fiz o trabalho e ficou tão bom mas o cachorro comeu!
– Que pena! Zero.

– Quem vai ser o primeiro a apresentar o trabalho de Geografia? Zezinho?
– Professora, a mãe do Zezinho falou com a minha mãe e ela pediu pra avisar que o Zezinho tá doente e só volta pra aula semana que vem.
– Meu Deus, está tudo bem com ele? Espero que não seja nada grave. Na dúvida, nota Dez!

– Quem vai ser o primeiro a apresentar o trabalho de Geografia? Zezinho?
– Professora, o Zezinho morreu.
– Oh meu Deus! *desmaio*

Como se vê, há improvisos e improvisos. Essa arte (que é, na realidade, apenas um movimento dentro da grande arte do migué) requer muita prática para que se atinja a perfeição. E nada melhor do que aprender com aquele que é o expoente nessa área: o ImprovEverywhere.

No Pants

"No Pants"

Talvez vocês já tenham ouvido falar desse grupo nova-iorquino por causa de sua criação mais famosa, o “No Pants” day. Uma vez ao ano, eles organizam um passeio pelo metrô da Big Apple, no qual todos os participantes cometem uma mesma gafe: eles “esquecem” suas calças em casa, e acabam andando por aí com suas roupas íntimas à mostra. Detalhe: durante todo o percurso, os participantes devem fingir que genuinamente esqueceram suas calças em casa. Nunca se deve revelar aos curiosos e transeuntes que é apenas uma grande pegadinha.

Tá bom, legal, mas o que isso tem a ver com improvisação? Tudo. Explicando melhor: o grupo foi criado por Charlie Todd, que, por possuir certa semelhança física com o cantor americano Ben Folds, decidiu numa noite fingir que era de fato Ben Folds. Assim, de supetão mesmo, foi a um bar e testou suas habilidades improvisacionais. Deu certo – a história completa você confere aqui, aqui e aqui (vale a pena ler).

Alguns anos depois, rendeu até uma pegadinha com o próprio Ben Folds.

Ben Folds (E) e Charlie Todd (D) - no fim das contas, nem tão parecidos assim

Ben Folds (E) e Charlie Todd (D) - no fim das contas, nem tão parecidos assim

Com seus amigos, Todd criou então o ImprovEverywhere. Auto-denominados “agentes”, os membros do grupo começaram a organizar as chamadas “missões”. Estas consistem em eventos e situações públicas criadas com o intento de surpreender as “pessoas comuns”, que acreditam estar presenciando um fato único e improvável. Embora premeditadas, as missões lidam com o improviso, pois os agentes devem não somente enfrentar a reação do público (que é imprevisível) como também impedir que o acontecimento seja descoberto como uma ação pré-planejada (ou seja, deve sempre parecer espontâneo).

Um exemplo recente e emblemático? Todd recrutou agentes gêmeos idênticos, que vestiram-se de forma idêntica e foram ao metrô. O resultado?

The Human Mirror

The Human Mirror

Um improvável espelho humano. Outro exemplo? Todd recrutou centenas de agentes e os mandou até o Grand Central Terminal, maior estação de trem de Nova Iorque. Todos sincronizaram seus relógios e, exatamente às 2 e meia da tarde, congelaram como estátuas. O resultado?

Além do ato em si, um dos grandes atrativos das missões é o feedback do público. É impagável ver a reação das pessoas frente ao inusitado. Há aqueles que riem, que ficam confusos, que ficam bravos e até aqueles que ignoram completamente o que está acontecendo.

Diversas missões estão disponíveis no site oficial. Minhas favoritas? Difícil dizer, mas com certeza estão entre elas a The Moebius (na qual o grupo simula uma alteração no espaço-tempo ao repetir a mesma seqüência de acontecimentos, no mesmo local, durante uma hora) e a Even Better Than The Real Thing (na qual eles fingem ser o grupo de rock U2 e fazem um show no topo de um prédio em plena Manhattan). Vale a pena conferir todas elas.

Portanto, da próxima vez que você for a NY (rerere) e presenciar algo fora do comum, cuidado: pode ser o ImprovEverywhere em ação.

Tags: , , , , , , , ,

Uma resposta to “Improvisando”

  1. zecoala Says:

    muito bom. critatividade 100% desse grupo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: