Reflexões VII – Inclusão Digital

by

Antes de qualquer coisa, cabe ressaltar o que seria Inclusão Digital:

“Inclusão Digital ou infoinclusão é a democratização do acesso às tecnologias da Informação, de forma a permitir a inserção de todos na sociedade da informação. Inclusão digital é também simplificar a sua rotina diária, maximizar o tempo e as suas potencialidades. Um incluído digitalmente não é aquele que apenas utiliza essa nova linguagem, que é o mundo digital, para trocar e-mails. Mas aquele que usufrui desse suporte para melhorar as suas condições de vida.”

E acham os hieroglifos dificeis?

E acham os hieróglifos difíceis de traduzir?

Em esforço de síntese, é qualquer pessoa, sem descriminação, ter um mínimo de acesso à internet, aos meios de informações, de forma com que se incrementem as possibilidades de uma melhora significativa na vida dessa pessoa.

A inclusão no Brasil teve início em 2005, via o programa de inclusão digital do governo federal, que financia a compra de computadores pela população de menor poder aquisitivo, por assim dizer.

O resultado dessa inclusão é de fácil constatação. Abra o Orkut, entre em qualquer comunidade que você participe e leia algum tópico, suas chances de ler algo ilegível (como alguém lê algo ilegível?) são grandes. dU tiPu aXxim!
Apesar de que, creio eu, nos últimos anos isso tem ao poucos diminuído. 

Eu simplesmente não gosto de “pq, vc, blz…”, parece preguiça de digitar. Descobri também a existência de duas vertentes de escritas na internet, o miguxês e o internetês

Nietzche e o Miguxês

Nietzche e o Miguxês

Eu sei também que esse é um tema extremamente discutido, provavelmente você já leu a respeito em vários lugares antes de ler aqui. 

Mas por quê eu escrevo a respeito se sei que é um tema sem graça? 
Porque, mais uma vez, no uso do meu tempo livre, localizei um blog que vale a citação e que corroba fortemente com o que falei acima.

É o PGA (Profiles de Gente que se Acha).
Profiles resultantes dessa inclusão digital. 

Certo, eu tenho acesso a Internet, podia estar lendo a Folha, o WSJ, o site do Corinthians, o NYT, The Economist, mas não, estava lendo esse blog. Acho que o fato de eu achar extremamente tosco, e não normal, o que acabei vendo nesse PGA (acredito que você também irá achar…) talvez me exclua dos maus utilizadores do enorme potencial da Internet, ou não.

Uma inclusão educacional antes seria bem mais interessante que uma digital. De que adianta ter internet em qualquer lugar se nem ler direito e interpretar um texto a população sabe? 

Aí acabam usando a internet pra isso:

Pena, muita Pena!

Pena, muita Pena!

Enfim, vejam o blog e fiquem estarrecidos.

Leia também algumas outras reflexões já postadas aqui.

Tags: , , , , ,

2 Respostas to “Reflexões VII – Inclusão Digital”

  1. uratani Says:

    não seria ilegível (ou mesmo ininteligível) ao invés de inelegível?

  2. neto Says:

    não sei do que você tá falando lá lá lá

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: